Quem foi Luiz Carlos Prestes?

O nosso Comitê Popular leva o nome Luiz Carlos Prestes para homenagear e manter vivo os ideais de um dos maiores heróis do povo brasileiro.

Prestes nasceu no dia 3 de janeiro de 1898. Ele foi organizador da Marcha Invicta, conhecida como “Coluna Prestes”. A Coluna percorreu 25 mil quilômetros em 2 anos e 3 meses, através de 13 estados brasileiros e lutava por eleições “limpas”, por moralidade na política e o efetivo cumprimento da Constituição Republicana. Durante essa longa marcha Prestes pode conhecer melhor a realidade brasileira, especialmente dos agricultores pobres do Nordeste e seu deu conta de que já não bastava trocar o presidente Arthur Bernardes, eram necessárias mudanças mais profundas nas estruturas econômicas e sociais. Por estas razões mais tarde se organizaria com os comunistas, tornando-se o Secretário Geral do PCB durante muitos anos. Prestes, em 1935, se incorporou à luta da Aliança Nacional Libertadora (ANL) – uma ampla frente única, que se propunha a lutar contra o imperialismo, o latifúndio e a ameaça fascista. Entre suas principais ações estiveram os levantes militares de 1935 que foram derrotados pelo governo Getúlio Vargas. Por isso, Prestes foi preso em 1936, juntamente com sua companheira, a comunista alemã Olga Benário. Foi condenado a mais de 47 anos de prisão. Olga foi deportada para a Alemanha hitlerista no sétimo mês de gravidez. Após dar à luz a sua filha Anita Leocádia, numa prisão nazista, Olga seria assassinada numa câmara de gás no campo de concentração. Prestes permaneceria preso durante 9 anos. Em 1945 saiu da prisão. Participou da campanha a favor da convocação de uma Assembléia Constituinte livremente eleita e democrática, que elaborasse uma nova Constituição em substituição à Constituição de 1937, de corte fascista. Prestes foi o senador mais votado até então na história da República. Na Constituinte, foi um dos mais ativos na defesa dos interesses do povo, principalmente da Reforma Agrária. Em 1947, o PCB era posto na ilegalidade pela Justiça Eleitoral.

Os  parlamentares comunistas tiveram seus mandatos cassados e Prestes foi para o exílio novamente durante 8 anos. Com o fim da Ditadura Militar, em 1979, com a conquista da anistia, Prestes regressa à Pátria. No aeroporto foi recebido por mais de 10 mil pessoas.  Em 1980 rompeu com o PCB, pelo fato da Direção do Partido, na época, ter abandonado a luta pelos objetivos revolucionários e socialistas.

A partir de então, Prestes desenvolveu intensa atividade de esclarecimento e propaganda de seus ideais revolucionários. Em 7 de março de 1990, o Camarada Luiz Carlos Prestes faleceu no Rio de Janeiro. Seu enterro foi acompanhado por uma expressiva multidão.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s